Apologia a Geografia Física

Posted by: Emerson Arruda on August 31, 2008

Nos últimos dias escutei muitas falas com preconceito com a Geografia dita Física. Até mesmo geógrafos – os mais afeitos a Geografia dita Humana – falam de forma preconcetiuosa com essa vertente da ciência geográfica. A Geografia Física não é mais nem menos que a Humana, pois uma tão Geografia quanto a outra.

Muita gente acha que a Geografia Física é uma espécie de Geologia, Biologia, Meteorologia ou qualquer coisa do tipo. Esse tipo de pensamento é no mínimo equivocado. A Geografia Física tem por objetivo pensar o espaço e a forma como a sociedade atua ou deveria atuar nesse espaço, assim como a Geografia Humana. Tratar a Geografia Física como se ela fosse algo fechado em si mesmo só mostra o quão pouco você conhece da ciência geográfica.

Novamente: Geografia Física é Geografia e não há por quê tratá-la de maneira depreciativa, pois agindo dessa forma estaríamos fragmentando o espaço, que está interligado por todos os lados!

Espero comentários.

Abraços,

Emerson Arruda.

Filed Under: Geografia

Comments

  1. Felipe Lima says:

    Na minha opinião, essa “rivalidade” que existe entre os dois principais “ramos” da Geografia é, até certo ponto, um aspecto positivo para a própria ciência. É natural que os Geógrafos Humanos sejam tendenciosos para a área deles e que os físicos sejam para a deles. A especialização numa área faz com que ela se aperfeiçoe. É preferível que existam especialistas em cada área do que vários profissionais não especializados, que não possuem um foco.

    Paulo Cesar da Costa Gomes em Geografia Fin-de-Siècle: O Discurso sobre a Ordem Espacial do Mundo e o Fim das Ilusões (Explorações Geográficas) fala sobre as “Ilusões da Geografia”. Uma delas é a idéia da Geografia como ciência de síntese, como era compreendida. “[...] deveria dominar todos os outros campos de conhecimento, como geologia, mineralogia, climatologia, geomorfologia, botânica ou biogeografia, além da economia, demografia, sociologia, sem, no entanto, se especializar em nenhum deles e, portanto, sem superposição com outros profissionais, uma vez que o objetivo final da Geografia era a síntese. [...] esta síntese se constituía no encontro de dinâmicas naturais e da ação social: Geografia Física e Geografia Humana.”

    Porém, a partir do momento que essa rivalidade passa a ser ofensiva, como se a Geografia Humana e a Geografia Física fossem dois times de futebol rivais ou duas religiões, eu acredito que a dualidade passa a ser um aspecto negativo.

Leave a Reply